Grupo de Teatro Amador de Alenquer

· Reportagens
Autores

Março, Mês do Teatro

Grupo de Teatro Amador de Alenquer

Companhia, Modas e Confecções”, de  Eduardo Schwalbach

“Anastácia & Companhia, Modas e Confecções”, de Eduardo Schwalbach

O Grupo de Teatro Amador de Alenquer, é de recente constituição, pois deriva do facto do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Alenquer ter decidido reunir num Grupo de Teatro, todos os artistas locais de maior experiência, em conjunto com outros a iniciarem agora a sua actividade teatral, afim de percorrerem o Concelho e actuarem onde houver salas com as condições necessárias. Convidou primeiro Manuel Gírio que começou a coordenar o Grupo, tanto na escolha da peça a representar, como nos convites a algumas pessoas.

Actuações:
Dia 04 – Alenquer – Liga dos Amigos de Alenquer
Dia 11 – Refugidos – Centro Cultural Recreativo e Desportivo de Refugidos
Dia 17 – Alenquer – Auditório Damião de Góis
Dia 19 – Bairro – Centro Popular de Recreio e Cultura do Bairro

Rui Rodriguez – Encenador
GTA-Rui-RodriguesPara chamar a atenção que o teatro continua muito vivo e que precisa de público, que a camada jovem se habitue a ir ao cinema. O Teatro está muito vivo no Concelho de Alenquer, por isso precisa de ser apoiado. Os responsáveis estão interessados em apoiar, existe um grupo muito grande de pessoas que gosta de teatro, o que é muito bom.

Manuel Gírio:
Manuel-Girio_100Princípio dos Anos 50 – começa a carreira no Teatro, como amador, fazendo parte de um Grupo Cénico que com o patrocínio do Sport Alenquer e Benfica e sob a direcção de Salomão de Lemos Figueiredo, representou diversas peças em 1 acto num palco desmontável na garagem de Martinho José Abreu, em Santa Catarina.
1954 – Escreve e leva à cena na antiga Auto-Mecânica de Alenquer sob o patrocínio do Sport Alenquer e Benfica e no seu palco desmontável, a revista “ALENQUER E A CEPA TORTA”, na qual teve a colaboração de seu tio Pilí, com música de outro seu tio, Alfredo Gírio (Bino). Essa revista deu, só em Alenquer, 20 representações.
1958 – Escreve e leva à cena no palco do Sporting Clube de Alenquer a revista “ALENQUER; ISTO E AQUILO…”. 18 representações.
1960 – No mesmo palco, a opereta “DIA DE FESTA !”, com 18 representações em Alenquer.
1965 – No Alenquer-Cine, para o Sport Alenquer e Benfica, a revista “ARRAIAL SALOIO”, com 17 representações.
1973 – Novamente no palco do Sporting Clube de Alenquer, a revista “ALENQUER DE CIMA A BAIXO !”, com 20 representações.
1975 – A peça em 1 acto “FORÇA DO POVO”, editada pelo MDP/CDE e representada em Alenquer e Concelho, pela Seiva-Trupe, do Porto e em diversas terras do país.
1977 – No palco do Sporting, a opereta “A FLORISTA DA RUA”, com música do maestro António Melo. Deu para Alenquer 12 representações.
No Sporting e no Camarnal, a peça infantil “A MENINA POBRE E OS CÓMICOS…”. Deu 7 ou 8 representações.
1980 – Nas Preces (Refugidos) a revista “NÃO TE A-PRECES, NEM TE ATRASES”.
1986 – No palco do Sporting de Alenquer, a revista “ÁGUA-PÉ NOVA!”, com música do maestro Alves Coelho, Filho. Em duas fases, com 30 representações, só em Alenquer.
1987 – Para o SIARTE (Sindicato de Artes e Espectáculos) a peça infantil “O NATAL É UMA CRIANÇA”. No teatro Maria Matos, 12 representações.
1989 – No Teatro da Trindade, a peça infantil “NO REINO DA BICHARADA”.
1989 – No Teatro Villaret, em Lisboa, a revista “ORA BATE, BATMANSO…”, com Octávio Matos e Mariema e música do maestro A. Redes Cruz. 3 meses em cena.
1991 – A peça infantil “AS AVENTURAS DE BALEIA E BAGATELA”, em co-autoria com o actor-autor Henriques Santos, no Teatro Variedades, em Lisboa. Deu 25 representações.
1995 – No Auditório Damião de Goes, em Alenquer, a reposição (remodelada) da opereta “DIA DE FESTA”, com música de Cesário Salvador e A. Redes Cruz. 12 representações.
1998 – No Sporting de Alenquer, a revista “ALENQUER PONTO POR PONTO…”, com música de José Manuel Costa (Galaio).
1998 – No Teatro ABC, em Lisboa, a revista “PREÇO ÚNICO”, CO-AUTORIA COM Paulo César e Tiago Torres da Silva. 4 meses em cena.
Ainda na década de 90, colaborou em diversas revistas da Companhia Luís Aleluia, tais como: “ANDAMOS TODOS AO MESMO”, “LÁ VAI FOGUETE!” e “REVISTA À VISTA” (esta também no Teatro Odéon, em Lisboa). Assim como “REVISTA É P’RA SER REVISTA”, no Teatro Ana Pereira, para a Liga de Amigos de Alenquer. Ainda para Ota: “AEROPORTO À VISTA…” e “QUERES RISOTA, VEM A OTA…”. E em Vila Verde dos Francos “VILA VERDE É UMA FESTA!”.
1999 – Para o Smup (Sociedade Musical União Paredense) Parede – Cascais, a revista “ESTA É DE ARROMBA!” – ainda em cena.
Na gaveta: As operetas “A CANÇÃO DA LIBERDADE”, “A VISITA DA RAINHA” e “SERRA AGRESTE”, a peça “OS CÓMICOS VÊM AÍ…” e a comédia musical “O PINTOR DE SONHOS”.

António Augusto Lucas
GTS-Antonio-AugustoSua Alteza Alenquer, de Victor Santos
1954 – Alenquer e a Cepa Torta (Foi no Benfica, no baile “À procura dum saloio”, onde ia vestido com o fato do Rancho do Cacho Dourado”, que Manuel Gírio o convidou a fazer a rábula do “Romeiro da Festa de Meca”.
1958 – Alenquer Isto e Aquilo
1960 – Dia de Festa (Opereta)
1966 – Arraial Saloio
1967 – Os Bimbos do Volfrâmio, gravação feita na RTP1, integrado no programa Melodias de Sempre
1969 – Rosas de Nossa Senhora, Daqui Fala o Morto, Prémio Nobel (Casa do Pessoal da CIPAN)
1973 – Alenquer de Cima Abaixo
1975 – A Força do Povo
1977 – Florista da Rua (Opereta)
1985 – Revista é para ser Revista
1986 – Águapé Nova
1991 – Queres Risota ? … Vem à Ota
1992 – Os Gajos, Rábula da Revista à Vista, de Luis Aleluia
1995 – Dia de Festa (Opereta) reposição
1997 – Alenquer Ponto por Ponto
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções

Maria Luisa Ferreira
GTA-Maria-Luisa-Ferreira1950 – Fome e Honra; As duas Gatas; O Namoro Engraçado; Variedades onde cantou o “Corridinho de Alenquer”, Peças em um acto, dirigidas por Salomão de Lemos Figueiredo
1954 – Alenquer e a Cepa Torta, de Manuel Gírio e Manuel Gomes Gírio
1958 – Alenquer Isto e Aquilo
1960 – Dia de Festa (Opereta)
1966 – Arraial Saloio
1967 – Os Bimbos do Vulfrâmio, gravação feita na RTP1, integrado no programa Melodias de Sempre
1967 – Rapsódia Portuguesa, convidada da Academia de Santo Amaro
1973 – Alenquer de Cima Abaixo
1975 – A Força do Povo
1977 – Florista da Rua (Opereta)
1985 – Revista é para ser Revista
1986 – Águapé Nova
1991 – Queres Risota ? … Vem à Ota
1992 – Os Fogueteiros, Rábula da Revista à Vista, de Luis Aleluia
1992 – Os Gajos, Rábula da Revista à Vista, de Luis Aleluia
1995 – Dia de Festa (Opereta) reposição
1996 – Aleluia
1997 – Alenquer Ponto por Ponto
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções
2000 – “E Tudo o Fumo Levou” e “O Fato Novo”, episódios gravados na SIC integrados no programa “A Loja do Camilo”.

Carlos Cartaxo
GTA-Carlos-Cartaxo1950 – Fome e Honra, peça em um acto, dirigida por Salomão de Lemos Figueiredo
1954 – Alenquer e a Cepa Torta, de Manuel Gírio e Manuel Gomes Gírio
1958 – Alenquer Isto e Aquilo
1960 – Dia de Festa (Opereta)
1966 – Arraial Saloio
1973 – Alenquer de Cima Abaixo
1977 – Florista da Rua (Opereta)
1985 – Revista é para ser Revista
1986 – Águapé Nova
1991 – Queres Risota ? … Vem à Ota
1992 – Os Gajos, Rábula da Revista à Vista, de Luis Aleluia
1995 – Dia de Festa (Opereta) reposição
1997 – Alenquer Ponto por Ponto
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções
Também participou no filme “Lotação Esgotada”, de Artur Semedo, onde fazia de sacristão. (O único dinheiro que ganhou até hoje)

Maria Albertina
GTA-Maria-Albertina-21965 – Auto de Mofina Mendes, de Gil Vicente, na Escola Primária
1971 – Velho da Horta, de Gil Vicente, Grupo de Alunos do Externato Damião de Góis, orientado pela Professora Maria das Mercês Moita
1965 – A Força do Povo
1985 – Revista é P’ra ser Revista
1986 – Água-Pé Nova
1994 – Dia de Festa (Opereta)
1998 – Alenquer Ponto por Ponto!…
1998 – Participação na Reconstituição da Tomada de Alenquer aos Mouros.

Ana Marta Luis
GTA-Ana-Marta-Luis1995 – Dia de Festa
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções





Sílvia Cruz
GTA-Silvia-Cruz1997 – Alenquer Ponto por Ponto!…
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções





Pedro Cordeiro
GTA-Pedro-Cordeiro2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções





Humberto Tomás
GTA-Humberto-Tomás2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções





Ercília Morais
GTA-Ercília-Morais(Contra-regra)
Iniciou-se na Escola Preparatória do Parque das Tílias, com “O Circo Fantasia ou o Palhaço Teimoso”
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções.



António Miguel Lemos Ferreira
GTA-Antonio-Miguel(Cenários e Panos)
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções





Maria Alexandra Reis
(Ponto)
1995 – Dia de Festa
1997 – Alenquer Ponto por Ponto!…
2000 – Anastácia & Companhia, Modas e Confecções



Hernâni de Lemos Figueiredo


©Hernâni de Lemos Figueiredo (2000)
director do Jornal D’Alenquer
in Jornal D’Alenquer, 1 de Abril de 2000, p. 16

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s