Entrevista a… José Manuel Inácio

· Entrevistas, JORNALISMO
Autores

Entrevista a…

José Manuel Inácio

Jose Manuel InacioTivemos uma breve conversa com José Manuel Inácio, presidente da direcção da Rádio Voz de Alenquer e aí, ficamos a saber que, a sua aspiração, a curto prazo é a construção da nova sede e a colocação na Internet e na TVCabo da programação da RVA e, a médio prazo, discutir a atribuição da televisão regional.

Quais as perspectivas para o futuro?
As perspectivas que temos, a muito curto prazo, passam pela construção da nova sede.

Devido às constantes mutações das leis na comunicação social, essa sede estará adaptada para o futuro?
Sim, vamos ter uma sede virada para o futuro uma vez que o futuro da comunicação social está a ser revisto e a RVA está atenta a essa realidade.

E meios para essa sede já existem?
Com a nova lei da comunicação social poderemos ir buscar alguns apoios financeiros.

Para além da nova sede existem mais alguns planos?
Existe uma ideia muito concreta que é a da profissionalização: só através da profissionalização da rádio, com a formação contínua de todos os colaboradores, se conseguirá que a RVA esteja mais perto da população. O objectivo é continuar a apostar na formação constante do nosso pessoal. Tudo isto faz parte da profissionalização da rádio.

Com mais trabalho de exterior?
Também, e para isso adquirimos este ano um carro de exteriores que vai começar a aparecer junto das populações.

Para isso será necessário alargar o quadro de pessoal?
O nosso quadro de pessoal será adaptado para fazer face a estas realidades. Se necessário, será realmente alargado.

A RVA tem intenções de se interessar por outros meios de informação?
Tivemos experiências muito gratificantes com a Radio Alfa de Paris e com a Rádio Macau e, é nossa intenção, durante este ano, colocar a nossa programação na Internet e o som na TVCabo, para assim podermos chegar a muitos alenquerenses que estão longe.

Qual a posição da RVA perante a possibilidade da televisão regional?
Tudo indica que a dentro de meia dúzia de anos a televisão regional seja uma realidade e nós também apostamos nisso – a sede que vamos começar a construir já é a prever essa possibilidade. Mesmo que a televisão seja dada a vários parceiros da região, nós encontramo-nos bem posicionados para a obtermos, pois estamos numa zona privilegiada: temos o emissor de Montejunto.

Momento feliz
Foi um acontecimento muito simples. Num dia de Natal, de manhã, estava eu na rádio quando bateram à porta e apareceu um senhor, dos lados de Ota, que vinha, à rádio, trazer o Menino Jesus. Entregou-me um envelope com cinco mil escudos. Olhei para o dinheiro e para o homem e pensei que esse dinheiro lhe poderia fazer muita falta. Com certeza apercebeu-se do meu olhar desconfiado e pouco convencido e ele voltou-se para mim e disse-me directamente que não tinha família, pois vivia sozinho numa barraca, ali para os lados de Ota e que a rádio era a única família que tinha. Não há duvida que para mim foi um grande momento, pela lição que aquele homem me deu. Todo o esforço que fizemos para montar a rádio foi compensado naquele momento, com os cinco mil escudos que aquele senhor veio trazer à rádio, porque a rádio era a sua família. Foi um momento muito gratificante para mim.

Momento menos feliz
O pior momento para mim foi o fecho da rádio, em Dezembro de 1988, e durante aqueles meses em que fomos obrigados a estar “calados”. A lei obrigou a que as rádios ficassem fechadas para depois serem legalizadas. Foi um momento de grande tristeza, não só para mim, como para todos aqueles que fundaram a rádio, porque nós ficamos na incerteza se poderíamos reabrir ou não.

Perfil
Nasceu em Alenquer em 12 de Janeiro de 1939

Dados Académicos:
– Curso Industrial.
– Director Técnico do Ensino Automóvel.
– Curso de Jornalismo do CENJOR.

Dados Profissionais:
– Representante das Escolas de Condução Portuguesas no XVI Congresso do IVV, em Madrid (1976).
– Representante das Escolas de Condução Portuguesas no XVII Congresso do IVV, em Budapeste (1978).
– Congressista no XVIII Congresso do IVV, no Estoril (1980).
– Congressista no I Congresso Nacional das Escolas de Condução, no Estoril (1979).
– Congressista no II Congresso Nacional das Escolas de Condução, em Tróia (1981).
– Congressista no I Congresso Nacional de Rádios, em Alenquer (1990).
– Congressista no II Congresso Nacional de Rádios, em Torres Vedras (1991).
– Congressista no III Congresso Nacional de Rádios, na Póvoa do Varzim (1992).
– Congressista no IV Congresso Nacional de Rádios, na Marinha Grande (1994).
– Participante em vários Fóruns e Colóquios sobre Radiodifusão, a nível nacional e internacional.

Lugares que desempenha:
– Presidente da Cooperativa Antena Rádio Voz de Alenquer.
– Director de Informação da Rádio Voz de Alenquer.
– Membro da Assembleia Municipal de Alenquer.

Lugares que desempenhou:
– Director das Escolas de Condução.
– Presidente da Associação Portuguesa de Radiodifusão.
– Director da Colónia Infantil do Concelho de Alenquer (Crianças Desprotegidas).
– Membro durante 25 anos do Corpo Activo dos Bombeiros Voluntários de Alenquer.
– Director da Associação Nacional dos Industriais do Ensino de Condução Automóvel.
– Várias vezes eleito pelos Distritos de Lisboa e Santarém à ANIECA.
– Director de várias colectividades desportivas e recreativas do concelho de Alenquer.
– Presidente da Federação das Rádios Privadas.
– Vogal na Confederação Portuguesa dos Meios de Comunicação Social.




Hernâni de Lemos Figueiredo


in Jornal D’Alenquer, 1 de Fevereiro de 2001, p. 17
©Hernâni de Lemos Figueiredo (2001)
director do Jornal D’Alenquer

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s