Dossier Aeroporto: É sempre bom avivar a memória de quem decide

· Diversos, OPINIÃO
Autores

Dossier Aeroporto

É sempre bom avivar a memória de quem decide

Documento entregue, por um munícipe da freguesia, ao presidente da Assembleia de Freguesia do Carregado, no início da reunião de 18 de Abril de 2006.

Brasao Carregado

Começo por lembrar a deselegância da NAER em não convidar os representantes da Freguesia do Carregado para estarem presentes na cerimónia da apresentação pública do novo aeroporto, e surpreende-me que esta Assembleia ainda não tenha tomado nenhuma decisão de desagrado por tal situação.

Outro apontamento é constatar que foi retirado da entrada da vila o placard alusivo ao Aeroporto da Ota. Que se saiba a decisão que está em vigor ainda é a que foi tomada na anterior legislatura, “a não concordar com a vinda do aeroporto”. Porque razão foi retirado o placard, sem a decisão estar revogada por esta Assembleia?

Por fim, uma breve nota quanto ao assunto principal que me trás hoje aqui.
Convém lembrar que Rio Frio foi a localização eleita para a construção do Novo Aeroporto de Lisboa em três ocasiões diferentes; que a ADP (Aeroports de Paris), no seu estudo de síntese também colocou à cabeça o sítio de Rio Frio; que a partir dos “Estudos preliminares de Impacte Ambiental e de Avaliação de Impacte Ambiental” do aeroporto da Ota, da responsabilidade do Prof. Doutor Fernando Santana, da Universidade Nova de Lisboa, o Governo decidiu-se, em 5 de Julho de 1999, pela localização da Ota.

Também é conveniente não esquecer que logo vozes credibilizadas se fizeram ouvir, acusando que a motivação da escolha não teve outro fim senão a componente económica, embora a ambiental fosse a desculpa.

Também se disse que o aeroporto aqui na Ota “incomodava menos pessoas do que em Lisboa”; que a OTA é um “desígnio nacional”, pois “tem uma importância económica assaz importante para o país, e temos que ser solidários por isso”; ou que, com a construção do aeroporto em Ota, “os donos dos terrenos e os lobbies ligados à construção civil são, para já, os grandes vencedores”.

Vamos ser solidários com a população de Lisboa, porque o aeroporto aqui na Ota incomoda menos gente do que se ele ficasse na capital do país? Ou vamos ser solidários com o país, porque a OTA é uma questão de estratégia económica nacional. (Mas, para essa estratégia económica nacional que diferença fará o aeroporto ficar 30 km mais acima ou mais abaixo?); ou vamos ser solidários com os especuladores imobiliários, porque segundo o que foi dito na cerimónia de apresentação do Aeroporto esta “é uma zona fortemente urbanizável”?

Poderemos ser solidários com esta gente toda, e também com o poder político, incluindo o emanado da Câmara Municipal de Alenquer, e esquecer a solidariedade que se deve à população da Freguesia do Carregado, passando por cima do seu direito a ter uma existência com qualidade de vida, e que isso estará posto em causa se se concretizar a vinda do aeroporto para a Ota.

Mas, convém ter em consideração que a população da Freguesia do Carregado não esquecerá essa falta de solidariedade por parte de quem tem a responsabilidade de zelar pelo seu bem-estar, e que os nomes dos intervenientes desta decisão ficarão registados para a posteridade.

Os senhores deputados deverão levar em linha de conta, não as questões técnicas de voos, de proximidade mais ou menos favorável aos grandes eixos viários, etc., etc., mas sim os aspectos negativos que o aeroporto de Ota causará à população da freguesia, sobretudo na área social, como a menor segurança de bens e pessoas e inadequada dimensão dos equipamentos sociais para o inevitável aumento populacional, e área ambiental, como a qualidade do ar respirável, a poluição sonora presente 24 horas por dia, proveniente tanto do tráfego rodoviário como aéreo, e a qualidade da água de consumo, pois não está assegurado que as imensas movimentações de terras não poluam os lençóis freáticos que nos servem.

Se a resolução saída desta assembleia for idêntica à anterior, seria muito importante a decisão ser o mais publicitada possível, com cartazes em diversos locais, como as entradas da vila e na Auto-Estrada, também para a comunicação social e, sobretudo, um mailing para a população da freguesia.

A terminar, e independente da decisão a ser tomada na reunião de hoje, seria útil para o futuro que a Freguesia do Carregado entrasse em contacto com as freguesias contíguas ao aeroporto da Ota a fim de formarem uma associação para discutirem assuntos de interesses comuns. Esta Assembleia poderia hoje mandatar o executivo da Freguesia para iniciar tais contactos.

Hernâni de Lemos Figueiredo
– Munícipe da freguesia

Carregado, 18 de Abril de 2005.

    PS:
    Para a feitura do documento final, e por proposta do deputado socialista Paulo Pereira, a assembleia aprovou juntar este texto às duas moções já anteriormente aprovadas, uma do Partido Socialista, a outra da Coligação pela Nossa Terra.



Hernâni de Lemos Figueiredo

©Hernâni de Lemos Figueiredo (2005)
director do Jornal D’Alenquer
in Jornal D’Alenquer, 18 de Abril de 2005 (on-line)

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s