Autárquicas 2013: PS vence em Alenquer com maioria absoluta

· Notícias Locais
Autores

Autárquicas 2013

PS vence em Alenquer com maioria absoluta

Houve quatro factores importantes para a vitória do PS: primeiro, o candidato, Pedro Folgado; segundo, a equipa, onde Rui Costa acrescentou uma credibilização decisiva; terceiro, a abstenção, que penalizou contundentemente a candidatura de Nuno Coelho; por último, a campanha de mal dizer que alguns adeptos da candidatura da CPNT implementaram na web.


ALENQUER: AUTÁRQUICAS 2013 Sede de Campanha do Partido Socialista

ALENQUER: AUTÁRQUICAS 2013
Sede de Campanha do Partido Socialista

Tudo calmo quando hoje, 29 de Setembro de 2013, cheguei à sede de Campanha do Partido Socialista, em Alenquer, apesar de se notar uma apreensão visível no rosto de algumas pessoas. “Não estou a prever nada de bom”, dizia-me um amigo, um dos primeiros a chegar. Em resposta à minha pergunta se havia alguma sondagem do PS que o levasse àquele “estado de alma”, respondeu-me que “era só um pressentimento”; eram precisamente 19,00 horas.

Pouca gente; apenas os candidatos, nem todos. À medida que o tempo avançava e se verificava a ausência de resultados, já era evidente algum nervosismo. E este aumentava após alguns telefonemas frustrados à procura de resultados. Nada. Desta vez os resultados foram primeiro indicados à câmara e só depois é que foram redistribuídos para a sede de Campanha. Penso que para as outras sedes de campanha tenha acontecido o mesmo; não sei. E o “estado de alma” do meu amigo pouco esperançado num desfecho favorável era visível; ele não parava de palmilhar o espaço que medeia a porta e a mesa onde se encontravam os computadores para fazer a contabilidade de votos. Contabilidade que até aí era impossível de se concretizar, pois não havia “números”.

Alvoroço na sala: uma pessoa “amiga” tinha telefonado a dar as primeiras notícias BOAS: as mesas de Penafirme da Ventosa, Freixial e Penedos, aldeias da Freguesia de Ventosa tinham dado a vitória ao Partido Socialista. Alguns sorrisos, não muitos, pois os resultados daquela freguesia “eram pacíficos” e todos esperavam que inevitavelmente fossem bons. Mas era uma vitória, apesar de ainda ser oficiosa. Estávamos em cima das 20,00 horas.


ALENQUER: AUTÁRQUICS 2013 Pedro Folgado, o novo Presidente de Câmara, na hora da incerteza

ALENQUER: AUTÁRQUICS 2013
Pedro Folgado, o novo Presidente de Câmara, na hora da incerteza

Montegil e Labrugeira foram as “boas notícias” seguintes. O ambiente começava a aquecer quando Pedro Folgado recebeu um SMS de um candidato da CPNT à presidência de uma Junta de Freguesia a felicitá-lo com “muitos parabéns, Pedro”. Mensagem um tanto enigmática, pois não se sabia se se referia aos resultados da sua freguesia se à presidência da Câmara. Mas foi agradável recebê-la. E o cenário ficou mais “quente” quando um “socialista” entrou na sala e disse que a televisão tinha anunciado maioria absoluta para o PS; e ali o pessoal sem qualquer resultado oficial. A projecção lá estava sobre a parede, agradável à vista e aparentemente funcional, mas com “zeros” onde era suposto já haver alguns outros números. Era frustrante.

Possivelmente porque tinham visionado a tal notícia na televisão, a sede de campanha começou a encher-se e o ar ficou irrespirável. Entretanto os resultados iam chegando, mais lentamente do que aquilo que se desejava. E às 21,15 já indicava uma vantagem, para a Câmara, de Pedro Folgado em relação ao seu opositor directo, Nuno Coelho (46,6%/30,00%). Mas, faltavam muitas mesas; e algumas delas muito importantes para o resultado final. Precisamente as mesas de Alenquer e do Carregado.

Precisamente o Carregado foi a chave; e com estes resultados as pessoas ficaram realmente cientes que Pedro Folgado já era o novo Presidente da Câmara. 1316 votos do PS para 1143 da CPNT. Indicavam essa realidade. Não pelos 173 votos de vantagem em relação a Nuno Coelho, mas pela inversão da vontade de votos: nas eleições anteriores em que Jorge Riso ganhou, as contas estiveram tremidas por causa do Carregado, onde Nuno Coelho teve mais 428 votos que Riso. Este ano, no Carregado/Cadafais, a lista da CPNT teve menos 763 votos que nas eleições anteriores.

Já se tinha a certeza da vitória. Mas ainda não havia confirmação da maioria absoluta. Só em cima das 22,40 h é que se chegou a essa conclusão, depois de muitas contas processadas pelos computadores ali presentes.

Para mim, houve quatro factores importantes para a vitória da candidatura do Partido Socialista: primeiro, o candidato, Pedro Folgado; segundo, a equipa, já ela forte, mas onde Rui Costa acrescentou uma credibilização decisiva; terceiro, a abstenção, que penalizou contundentemente a candidatura de Nuno Coelho, apoiada pelos partidos da governação do País; por último, a campanha de mal dizer que alguns adeptos da candidatura da CPNT implementaram na web; as pessoas já estão saturadas deste estilo de intervenção política. Foram de tal consideração estes factores que superaram largamente a estratégia de comunicação e de gestão de imagem que, quanto a mim, foram inadequadas, como defendi em trabalho anterior.


ALENQUER: AUTÁRQUICAS 2013 Rui Costa, o provável vice-Presidente da Câmara de Alenquer, não teve

ALENQUER: AUTÁRQUICAS 2013
Rui Costa, o provável vice-Presidente da Câmara de Alenquer, não teve mãos a medir na hora de receber os resultados

Mas, nisto de vitórias, as pessoas são ambiciosas e desejam sempre mais. Só faltava conhecer o desfecho para a freguesia de Alenquer (Triana e Santo Estêvão). As contas estavam favoráveis à CPNT e só faltava o resultado de uma única mesa. Precisamente a mesa do candidato do PS, Paulo Matias. Foi a segunda ovação triunfal da noite quando se recebeu a informação que o PS tinha ganho essa mesa com números suficientes para também assegurar a vitória na freguesia.

Resultado: uma vitória clara de Pedro Folgado, com maioria absoluta (41,85%), com a eleição de 4 vereadores (Pedro Folgado, Rui Costa, Dora Carvalho e Paulo Franco). A Coligação Pela Nossa Terra ficou em segundo lugar (28,2%) com a eleição de 2 vereadores (Nuno Coelho e José Augusto Nuno). O executivo camarário ficou concluído com o vereador eleito pela CDU, Carlos Areal, (16,5%). Foi um dia marcado pela forte abstenção (49,12%), com o valor de maior expressão na Freguesia Carregado/Cadafais (61,67%), e de menor significado na Freguesia de Meca (33,195).

A nível de freguesias ficou tudo cor-de-rosa, com excepção das freguesias de Carregado/Cadafais e de Olhalvo. Na primeira, a coligação conseguiu eleger de novo José Manuel Mendes; foi uma boa vitória, numa zona muito difícil, onde a CPNT teve menos 763 votos que nas eleições anteriores. Na segunda, Jacinto Agostinho, anterior presidente de Junta (PS), conseguiu a reeleição, agora numa lista de independentes, onde recebeu o apoio estratégico do PSD, que não se apresentou a votos. Jacinto alcançou uma maioria absoluta confortável de 528 votos, contra 415 do PS e 117 da CDU.

Algumas curiosidades destas eleições: Nuno Coelho perdeu na sua freguesia (Carregado) por uma diferença de 173 votos. António Franco, candidato à Freguesia de Abrigada, para além de perder a freguesia por 462 votos também não conseguiu impor-se na sua aldeia onde perdeu por 3 votos. Victor Ronca, candidato da CPNT, perdeu a freguesia de Alenquer (Triana/Santo Estêvão) por 52 votos tendo, inclusive, perdido a votação na sua terra, Camarnal, por 30 votos.

PS_sondagensForam resultados que se aproximaram dos valores indiciados pelas 6 sondagens Quem gostaria de ver como próximo Presidente da Câmara de Alenquer?. E, no dia das eleições, foram batidos todos os recordes de páginas visitadas e de visitantes únicos neste meu espaço web.

Veja aqui o mapa com os resultados totais destas eleições autárquicas.

Sai de cena Jorge Riso, eleito em 2009, a grande esperança para alguns, eu incluído, que iria modificar para melhor a gestão do município e melhorar a vida dos habitantes do concelho de Alenquer; por constrangimentos vários não o conseguiu. “Rei morto, rei posto. Viva o Rei”. E a reinar a partir de agora está Pedro Folgado, antigo director da Escola Secundária Damião de Goes, em Alenquer, nestes últimos quatro anos assessor do anterior presidente. É o candidato que apoiei e em quem deposito enormes esperanças. Que realmente seja desta, pois já chega de tanto azar e de apostas falhadas.

      NOTA:
      Tive o privilégio de merecer a primeira entrevista do novel presidente da Câmara Municipal de Alenquer



©Hernâni de Lemos Figueiredo (2013)
Programador Cultural
Alenquer, 29 de Setembro de 2013

1 Comentário

Comments RSS
  1. Talvez depois de publicado o meu ultimo artigo de opinião sobre as sondagens, se perceba porque é que o PS ganhou. Estas eleições foram ganhas entre entre a secretária e a tesouraria do município, que condicionou o trabalho dos opositores retirando-lhes os meios e dando-os a outros da sua estima e cor. Não percebo é porque ainda não está disponível aqui no blog.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s